Um dos grandes males que "assombra" a Columbicultura em Portugal

é que chegou-se a um ponto em que já ninguém cria segundo o standard da raça do pombo, quer raças portuguesas assim como estrangeiras.

As pessoas que têm pombos de fantasia, Rabos de Leque, Cabeleiras, etc... tem as aves porque gostam de ver e acham bonito. Não tenho nada contra isso, mas se formos a continuar com a criação de aves com características negativas que nada teem a ver com o standard estabelecido ou a cruzar raças de pombos umas

com as outras, o resultado é catastrófico.

Os ultimos criadores já são pessoas idosas, criadores que gostam dos pombos e insistem na preservação das raças, isto é já uma situação sem volta nem reviravolta. Hoje em dia os jovens não se interessam por nada a não ser computadores e jogos playstation.

Para agravar isto tudo, hoje em dia a maioria das pessoas vivem em apartamentos, autenticas 'jaulas', em prédios e mais prédios nas grandes zonas urbanas onde infelizmente o único contacto com animais é através da televisão ou vendo os pardais-de-telhado ou os pombos de rua, os quais tem fama de propagadores de doenças e de sujarem tudo e mais alguma coisa com os seus dejectos.

Na Columbofilia a historia já é um pouco diferente visto existirem centenas de associações por todo o país e um grande numeros de adeptos.

Apesar da Columbicultura já ter pelo menos uns 200 anos ou mais em Portugal, a presença de raças de pombos diferentes dos pombos-correios já remonta á epoca das invasões árabes na Península Ibérica.

Felizmente ainda existem uns quantos Criadores de pombos em Portugal capazes de "levar" a Columbicultura Portuguesa avante.

Cumprimentos a todos.

Pedro J. P. Bento

 

 

Cambalhota Português

Mariolinha

Mariola

Criador Lusitano

Cambalhota Português

Origem

( Por Júlio S. Branco)

Anterior a 1905, parece não existir nada escrito que permita inquirir sobre as origens do Cambalhota Português.

Somente se sabe que, algures durante o século dezanove, um antigo pombo cambalhota português, foi cruzado com o English Tumbler ( cambalhota inglês ) e também, disseram alguns, com o Culbutant Francais ( cambalhota francês ) mas este em menor proporção.

Isto parece confirmar-se na semelhança do nosso Cambalhota com alguns dos seus congéneres Ingleses, como o de face curta (English Short Faced Tumbler ), o Birmingham Roller e ate mesmo o Tippler;… mostrando também parecença com aquela raça Francesa em tamanho e aparência. Também e a única raça Portuguesa a possuir o Tricolor, que era a cor tradicional do cambalhota Francês. Em Franca, “TRICOLOR” e o nome popular do estandarte da Republica Francesa ( azul, branco e vermelho ), portanto não admira que o cambalhota nacional Francês fosse então particularmente abundante nessa cor.

O cambalhota Francês existe hoje em varias outras cores, como azul com barras, preto e vermelho recessivo: Podendo essas cores ser unidas, tigrado ou apenas com algumas plumas brancas nos ombros. Esta ultima variedade e chamada “a epaulettes”e consiste no mesmo “desenho” a que os Ingleses chamam “ Rosewings”. Este “desenho” era comum nos primeiros Cambalhotas exportados de Portugal nos anos 70 e 80.

Trazendo mais probabilidades da utilização do cambalhota Francês, esta o facto de que o Criador Lusitano foi criado usando o Show Homer Inglês e o “Cumulet”,  um antigo pombo Francês de alto voo.

Porque bem documentada, a origem do Criador pode facilmente situar-se nos princípios do século 20, sendo isto interessante por causa do uso do Cumulet:

Sabemos que na época após as Invasões Francesas (1807-1814) Portugal estava politica e comercialmente mais ligado a Inglaterra. Dai a popularidade do cambalhota Inglês neste Pais.

Mas, na segunda metade do século 19, cresce a rivalidade entre Portugal e o Império Inglês, com respeito as colónias em África. Logo a seguir (1910), foi abolida a Monarquia Portuguesa o que facilitou o regresso a normalidade das relações com a Franca.

Portanto e historicamente provável que ambos, o Cumulet e o cambalhota Francês, possam ter sido usados respectivamente, na criação do Criador e do Cambalhota Português.

Os cambalhotas Ingleses separaram-se em duas raças principais nos princípios do século 19, com o Short Faced como variedade de exposição, continuando o Long Faced ainda como Pombo de voo.

Por causa das similaridades do nosso Cambalhota Português com aquelas antigas raças Inglesas, e provável que a certo ponto os criadores Portugueses, que então criavam cambalhotas Ingleses, quando politicamente cortadas as relações que tinham com os criadores Britânicos, simplesmente continuaram a criação do Inglês de voo antigo. E, quando se deu a oportunidade, introduziram o cambalhota Francês, constituindo assim bases para uma nova raça, que nomearam Cambalhota Português.

                    

                                                                  Cambalhota Português.  foto: Pedro Bento

 

 

HOME

About us | Latest News | Articles | Portuguese Breeds | Photo Gallery | List of Breeders | Links | Guestbook | Contacts

 

Copyright © 2007,2009  Associação Portuguesa de Columbicultura. All rights reserved. Todos os direitos reservados. 

Any unauthorised downloading, copying, linking to or use of the images on this webpage in any way (other than viewing them on this website) without the express permission of the A.P.C. will constitute an infringement of copyright. Copyright © Associação Portuguesa de Columbicultura 2007,2009. All rights reserved.